ESPAÇO DA PENHA

Forum Dança e O Rumo do Fumo são duas estruturas de Dança Contemporânea com actividades complementares - formação e criação, respectivamente – que têm vindo a colaborar ao longo da sua existência. A partilha de espaço representa um formato de colaboração no âmbito da comunidade da dança e potencia novas dinâmicas de trabalho. Espaço aberto à comunidade artística e ao público em geral.

Depois de 5 anos de co-habitação na LXFactory, o Forum Dança e O Rumo Do Fumo mudaram para novas instalações, na zona da Penha de França.

O projecto Espaço da Penha, na Travessa do Calado 26 B, implicou diversas intervenções de adaptação e melhoramento do espaço - cerca de 1200 m2 de área, com 5 estúdios, 5 escritórios, uma sala de formação/centro de documentação e diversas áreas comuns.

O novo espaço é ocupado pelo Forum Dança, O Rumo do Fumo, FRAME, Carta Branca, Causas Comuns/Cristina Carvalhal, Teatro do Eléctrico, Paula Caspão e João Tuna.

 


 

Residências Artísticas com o apoio Forum Dança

 

O Forum Dança apoia artistas emergentes, designadamente ex-alunos dos seus cursos de formação – PEPCC, CPCC, CDC e CGPAE.
Apoia também outros artistas (que não ex-alunos) e estruturas congéneres.
Estes apoios realizam-se em diversas vertentes:

Mais informação aqui


 

A MINHA HISTÓRIA DA DANÇA

 

Sobre o ciclo de palestras "A minha História da Dança"

"Todos nós, bailarinos, coreógrafos ou performers, recebemos de alguma maneira e por alguma via, mais académica ou mais autodidacta, uma ideia da História da Dança, ou da História das Artes Performativas, da qual nos sentimos "descendentes" (e talvez nos sintamos descendentes de várias Histórias ao mesmo tempo!). Houve certamente criadores coreográficos ou cénicos que nos fizeram entender a arte que fazemos da forma como a entendemos hoje. Cada um tem uma ideia específica de como essa História se desenrolou, e para cada um há determinados criadores e determinados movimentos e correntes artísticas que contribuíram para configurar a ideia de dança que tem e pratica e que, de alguma forma, está respondendo a essa História. Estas palestras dar-nos-ão a oportunidade de conhecer a História da Dança que cada um criou dentro de si." - Vera Mantero

O ciclo de palestras A Minha História da Dança é um projecto desenvolvido pelo Forum Dança e O Rumo do Fumo, estruturas financiadas pela República Portuguesa - Cultura / Direcção-Geral das Artes. Programa no âmbito do contrato-programa com a Câmara Municipal de Lisboa / Direcção Municipal da Cultura / Divisão da Rede de Bibliotecas.

Participaram em "A Minha História da Dança":
Ana Borralho & João Galante, André Lepecki, Clara Andermatt, Gil Mendo, Gustavo Ciríaco, Francisco Camacho, Jennifer Lacey, Jeroen Peeters, João Fiadeiro, Joclécio Azevedo, La Ribot, Lia Rodrigues, Lisa Nelson, Loïc Touzé, Madalena Victorino, Mark Tompkins, Meg Stuart, Miguel Pereira, Nadia Lauro, Olga Roriz, Rui Horta, Sofia Dias & Vitor Roriz, Sónia Baptista, Vânia Rovisco, Vera Mantero.

Mais informações:
Espaço da Penha - Tv. do Calado 26 B, 1170-070 Lisboa

 


 

PRÓXIMAS PALESTRAS - Março 2020

 

Palestra "A Minha História da Dança", por Xavier Le Roy
5 Março \\ 18h30 \\ Biblioteca Camões, Lisboa
Entrada livre \\ Duração aproximada: 2h

 


Xavier Le Roy

Xavier Le Roy, doutorado em biologia molecular pela Universidade de Montpellier, França, trabalha como artista desde 1991. Desde 2018 é professor no Institute for Applied Theater Studies, em Giessen (Alemanha).
Trabalhou com diversas companhias e coreógrafos. De 1996 a 2003, foi artista residente no Podewil, em Berlim. Em 2007-2008 foi "Artista Associado" no Centre Chorégraphique National de Montpellier, em França. Em 2010, Le Roy foi Artista em Residência no MIT Program in Art Culture and Technology (Cambridge, MA). Em 2012, inicia uma residência de 3 anos no Théâtre de la Cité Internationale, em Paris.
Através dos seus trabalhos a solo, como "Self Unfinished” (1998) e "Product of Circumstances” (1999), abriu novas perspectivas no campo da coreografia. Ao mesmo tempo, iniciou projectos onde explorou modos de produção e colaboração em trabalhos de grupo: "E.X.T.E.N.S.I.O.N.S." (1999-2000), "Project" (2003) e "6 Months 1 Location" (2008).
Os seus trabalhos – como os solos "Le Sacre du Printemps" (2007), "Untitled" (2014), a peça do grupo "Low pieces" (2011) e obras para espaços expositivos como "Production" (2011), criadas em conjunto com Mårten Spångberg, "Untitled" (2012) para a exposição 12 Rooms, "Retrospective", realizada pela primeira vez em 2012 na Tapiès Foundation-Barcelona, "Temporary Title, 2015", criada em Sydney no âmbito do John Kaldor Public Art Project, ou "For The Unfaithful Replica" (2016) em colaboração com Scarlet Yu na CA2M, em Madrid – produzem situações que exploram as relações entre espectadores/visitantes/intérpretes e a produção de subjectividades.
Em 2017, juntamente com o Ensemble Issho Ni, cria, para o Ensemble Modern em Frankfurt, a exposição "Haben Sie "Modern" gesagt?" e, juntamente com Scarlet Yu, desenvolve "Still Untitled", um trabalho para espaços públicos, encomendado por Skulptur Projekte Münster 2017. Em 2018, a convite da Bienal de Veneza, cria uma nova versão de "Le Sacre du Printemps" para três artistas e trabalha numa nova edição de "Rétrospective" no Museo Jumex, na Cidade do México. Em 2019, esta exposição tem sua 13.ª edição no Hamburger Bahnhof - Museum für Gegenwart, em Berlim e, em colaboração com Scarlet Yu e a equipa de “Temporary Title, 2015”, coreografam "Research Conversations", para o evento de três dias "Live Forms", no Haus der Kultur der Welt, em Berlim.
Os seus trabalhos produzem situações que questionam as relações entre espectadores/visitantes e intérpretes e tentam transformar ou reconfigurar dicotomias como: objecto/sujeito, animal/humano, máquina/humano, natureza/cultura, público/privado, forma/não-forma.

Foto: © Emma Picq

Agradecimentos: João dos Santos Martins.
O Forum Dança tem o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.


 

Palestra "A Minha História da Dança", por Christine de Smedt
12 Março\\ 18h30 \\ Biblioteca Camões, Lisboa
Entrada livre \\ Duração aproximada: 2h

 

Christine de Smedt

Christine de Smedt (1963). O seu trabalho artístico situa-se entre dança/performance, coreografia, coordenação, organização e curadoria de projectos artísticos.
Foi membro da companhia Les Ballets C. de la B. (Gante, Bélgica) de 1991 a 2012; criou o seu próprio trabalho a partir de 1993: a solo "La force fait l'union, fait la force"; "Escape Velocity" um projecto itinerante nos Balcãs (1998), "9x9" uma coreografia de grande formato e escala (2000-2005); e "Quatro Retratos Coreográficos" (2012) uma série de retratos performativos de diferentes artistas, intitulados "I would leave a signature", "The son of a priest", "A woman with a diamond" e "Self-reliance".
Colaborou durante vários anos com Meg Stuart - Damaged Goods (1995-1999) e com Mårten Spångberg, Mette Edvardsen, Philipp Gehmacher, Vladimir Miller, Jan Ritsema, Myriam Van Imschoot, Xavier Le Roy, entre outros.
Desde 2003 colabora e interpreta nos projectos "Low Pieces" e "Temporary Title, 2015" de Xavier Le Roy, e na coreografia "Artificial Nature Project" de Mette Ingvartsen (2013-2014). Em 2014 apresentou "spatial confessions" com Bojana Cvejic, no Turbine Hall da Tate Modern (Londres, Reino Unido). Desde 2005 realiza projectos com Eszter Salamon, como "Nvsbl", "dance#1/driftworks", o projecto de grupo "Transformers" e "Dance#2". Em 2018 colaborou com Myriam Van Imschoot na performance participativa "Splash!", na piscina apresentada em Mimosa (Kortrijk, Bélgica).
Foi curadora de um projecto de residência artística Summer Intensive em 2010 e 2011. Foi Coordenadora Pedagógica dos Performing Arts Training Studios - P.A.R.T.S. (2013-2016), onde continua envolvida como mentora e membro do corpo docente. Desde 2016 também lecciona na KASK (Gante, Bélgica).
Actualmente colabora com Xavier Le Roy, faz assistência artística para Mette Ingvartsen em "Moving In Concert", e para Eszter Salamon em "Heterochrony, Manifestations", e está a desenvolver um projecto sobre a violência, baseado entrevistas e reflexões performativas de diferentes áreas da sociedade.

Foto: © Chris Van Der Burght

Agradecimentos: João dos Santos Martins.
O Forum Dança tem o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.


 

PALESTRAS ANTERIORES

 


 

Dezembro 2019

 

Palestra "A Minha História da Dança", por Vera Mantero
5 Dezembro \\ 18h30 \\ Biblioteca Camões, Lisboa
Entrada livre \\ Duração aproximada: 2h \\ Palestra no âmbito do programa O Rumo do Fumo - 20 anos

 


Vera Mantero

Vera Mantero estudou dança clássica com Anna Mascolo e integrou o Ballet Gulbenkian entre 1984 e 1989. Tornou-se um dos nomes centrais da Nova Dança Portuguesa, tendo iniciado a sua carreira coreográfica em 1987 e mostrado o seu trabalho por toda a Europa, Argentina, Uruguai, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, EUA e Singapura.
Desde 2000 dedica-se também ao trabalho de voz, cantando repertório de vários autores e co-criando projectos de música experimental.
Em 1999 a Culturgest organizou uma retrospectiva do seu trabalho até à data, intitulada “Mês de Março, Mês de Vera”. Representou Portugal na 26ª Bienal de São Paulo 2004, com Comer o coração, criado em parceria com Rui Chafes. Em 2002 foi-lhe atribuído o Prémio Almada (IPAE/Ministério da Cultura) e em 2009 o Prémio Gulbenkian Arte pela sua carreira como criadora e intérprete.

Foto: © João Tuna

 


 

Palestra "A Minha História da Dança", por Miguel Pereira
12 Dezembro \\ 18h30 \\ Biblioteca Camões, Lisboa
Entrada livre \\ Duração aproximada: 2h \\ Palestra no âmbito do programa O Rumo do Fumo - 20 anos

 

Miguel Pereira

Estudou na Escola de Dança do Conservatório Nacional e na Escola Superior de Dança, em Lisboa. Foi bolseiro em Paris (Théâtre Contemporain de la Danse), em Nova Iorque, com uma bolsa do Ministério da Cultura, e em Amesterdão.
Como intérprete trabalhou, entre outros, com Filipa Francisco, Francisco Camacho e Vera Mantero.
Como criador destaca os trabalhos “Antonio Miguel”, com o qual recebeu o Prémio Revelação José Ribeiro da Fonte do Ministério da Cultura e uma menção honrosa do prémio Acarte/Maria Madalena Azeredo Perdigão (2000), “Notas Para Um Espectáculo Invisível” (2001), Data/Local (2002), “Corpo de Baile” (2005), “Karima meets Lisboa meets Miguel meets Cairo”, uma colaboração com a coreógrafa egípcia Karima Mansour (2006), “Doo” (2008), “Antonio e Miguel”, uma nova colaboração com Antonio Tagliarini (2010), “Op. 49” (2012), “WILDE” (2013) uma colaboração com a mala voadora, “Repertório para Cadeiras, Figurinos e Figurantes” (2015) para o Ballet Contemporâneo do Norte, “Peça para Negócio” e “Peça feliz” (2017), e “Let’s get global” (2019) criado no âmbito da comemoração dos 500 anos da viagem de circum-navegação de Fernão Magalhães.
O seu trabalho tem sido apresentado em toda a Europa, Brasil, Uruguai e Chile, e é professor convidado em diferentes estruturas nacionais e internacionais. Desde 2000, é artista associado d’O Rumo do Fumo.

Foto: © Laís Pereira

 


 

Novembro 2019

 

Palestra "A Minha História da Dança", por Olga Roriz
21 Novembro \\ 18h30 \\ Biblioteca Camões, Lisboa
Entrada livre \\ Duração aproximada: 2h

 

Olga Roriz

Bailarina e coreógrafa portuguesa formada em Dança pela Escola de Dança do Teatro Nacional de S. Carlos e pela Escola de Dança do Conservatório Nacional de Lisboa.
Foi 1.ª bailarina e coreógrafa do Ballet Gulbenkian, diretora artística da Companhia de Dança de Lisboa, tendo fundado a sua própria companhia, Companhia Olga Roriz, há 24 anos.
O seu vasto reportório, constituído por mais de 90 obras tem sido distinguida com variados prémios, nacionais e estrangeiros. Pela sua carreira foi condecorada com a insígnia da Ordem do Infante D. Henrique – Grande Oficial pelo Presidente da República (2004).
A Universidade de Aveiro atribui-lhe o Doutoramento Honoris Causa por distinção nas Artes.

Foto: © Estelle Valente

 

Palestra "A Minha História da Dança", por Sónia Baptista
14 Novembro \\ 18h30 \\ Biblioteca Camões, Lisboa
Entrada livre \\ Duração aproximada: 2h

 


Sónia Baptista

Nasceu em Lisboa. É formada em Dança Contemporânea pelo Fórum Dança. Em 2001, foi-lhe atribuído o Prémio Ribeiro da Fonte de Revelação na área da Dança pelo Ministério da Cultura por Haikus (o seu primeiro trabalho). Obteve, com distinção, o grau de Master Researcher in Choreography and Performance da Universidade de Roehampton em Londres. No seu trabalho explora e experimenta com as linguagens da dança, performance, música, literatura, teatro e vídeo. Trabalha também em direcção de movimento e dramaturgia. Para além de textos e poemas em várias publicações, tem já seis livros editados. Colabora com a Companhia Nacional de Bailado, com o Fórum Dança e a Escola Superior de Teatro e Cinema em projectos pedagógicos. Dos seus últimos trabalhos destaca In the Fall the Fox / E na Queda Raposar (Festival Temps d’Images, 2014), A Falha de Onde a Luz (2015), Assentar Sobre a Subida das Águas (Festival Alkantara, 2016), Querer do Corpo, Peso (São Luiz, 2017) e Triste In English From Spanish (Culturgest, 2019). Ao longo do seu percurso artístico o seu trabalho foi apoiado pelo Ministério da Cultura/Secretaria de Estado da Cultura/DGArtes, Fundação Calouste Gulbenkian e Centro Nacional de Cultura. Apresentou-se em vários festivais e teatros em Portugal e no estrangeiro. É Artista Associada da AADK Portugal.

Foto: © Mariana Smania

 

 


 

Julho 2019

 

Palestra "A Minha História da Dança", por Meg Stuart
18 Julho \\ 18h30 \\ Espaço da Penha, Lisboa/Portugal
Entrada livre \\ Duração aproximada: 2h

 

Meg Stuart

Coreógrafa e bailarina americana, nascida em Nova Orleães, vive em Berlim, trabalha em Bruxelas na companhia Damaged Goods, estrutura que fundou em 1994.
Criou mais de 30 obras, em dança e teatro. Iniciou vários projectos de improvisação e colabora com artistas nos campos das artes visuais, da música e da dança.
Através da improvisação, Meg Stuart explora estados físicos e emocionais ou as memórias que eles produzem. O seu trabalho artístico encontra-se sempre numa constante mudança de identidade, que se redefine enquanto procura novos contextos de apresentação e territórios para a dança.
Para além do seu trabalho enquanto coreógrafa, Meg Stuart ensina regularmente em workshops e master classes em escolas de dança, festivais e instituições.
Em 2008, Meg Stuart recebeu o prémio Bessie Award (Nova York) pela sua obra e o Flemish Culture Award na categoria das Artes Performativas.
Em 2012, a Akademie der Künste (Berlim) concedeu a Meg Stuart o Konrad-Wolf-Preis.
Tanz Magazine homenageou-a como Coreógrafa do Ano 2014. Nesse mesmo ano, Stuart foi homenageada com o Grand Prix de la Danse de Montréal.
Em 2018, La Biennale di Venezia concedeu-lhe o Golden Lion for Lifetime Achievement, na categoria de dança.

Foto: 2018 © Edouard Jacquinet

 


 

O Forum Dança é uma estrutura independente financiada pelo Ministério da Cultura, Direcção Geral das Artes e pela Câmara Municipal de Lisboa.
O Forum Dança é uma estrutura reconhecida como pessoa colectiva de utilidade pública, desde 1998.
O Forum Dança pertence à REDE - Associação de Estruturas para a Dança Contemporânea.